Cabeçalho Portal Unipampa Página inicial Site Campus Alegrete Site Campus Caçapava do Sul Site Campus Bagé Site Campus Dom Pedrito Site Campus Itaqui Site Campus Jaguarão Site Campus Livramento Site Campus São Borja Site Campus São Gabriel Site Campus Uruguaiana


 


Neab realiza ações de fortalecimento e promoção da igualdade racial PDF Imprimir
Escrito por Franceli Couto Jorge   
Seg, 05 de Janeiro de 2015 09:15

Discutir a cultura afro-brasileira, africana e indígena e criar espaços coletivos de reflexões sobre as posições ocupadas na sociedade por diferentes grupos étnico-raciais são algumas ações do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (Neab), da Universidade Federal do Pampa (Unipampa).

O Neab surgiu em 2010, no Campus Uruguaiana, a partir da necessidade de proporcionar, através de um núcleo de pesquisa e extensão, discussões e reflexões no âmbito acadêmico sobre a aplicação das Leis Federais nº 10.639/2003 e nº 11.645/2008. Tais leis tratam sobre a obrigatoriedade do estudo da história e cultura afro-brasileira e indígena nas instituições de ensino públicas e privadas nos níveis fundamental e médio.

O Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros possui caráter interdisciplinar e tem como objetivo subsidiar futuros profissionais com atividades voltadas à educação e produção de conhecimentos referentes à construção de uma sociedade pautada nos direitos universais e humanos. Os encontros do Núcleo ocorrem quinzenalmente e debatem ações de combate ao racismo e promoção da igualdade racial. As reuniões avaliam, ainda, formas concretas para colaboração com a comunidade acadêmica no reconhecimento e respeito à diversidade.

Conforme a professora Marta Iris Camargo Messias da Silveira, coordenadora do Neab, percebe-se “um avanço no conhecimento e compreensão frente às questões étnicas raciais, na busca do fortalecimento desta discussão na prática acadêmica, construindo uma percepção profissional qualificada e diferenciada”.

Desde sua criação, o Núcleo desenvolve diversos projetos de extensão no município de Uruguaiana. Entre eles, destacam-se “Vivências em Capoeira” e “Possibilidades socioeducativas da dança afro: a comunidade acadêmica e as relações éticas e raciais”. Também foi executado o projeto “Educarte: vivenciando a cultura afro-brasileira nas escolas estaduais de Uruguaiana e no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case)”. Este trabalho tem como intuito construir conhecimento sobre o desenvolvimento da corporeidade, cultura e educação, confrontando o conhecimento construído em um contexto formal de educação, como as escolas.

Marta destaca que além das atividades como dança afro e capoeira, também são realizadas palestras e discussões voltadas à comunidade acadêmica, assim como, para crianças e adolescentes do Centro de Atendimento à Criança e Adolescente de Uruguaiana (Cacau) e do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case). “As ações foram realizadas na perspectiva de uma sociedade democrática e plural que objetive a inclusão, cooperação, solidariedade, resgate da autoestima e autoimagem do público envolvido, bem como, a reintegração social”, afirma a professora.

Quanto à formação docente, o Neab busca integrar e promover a troca de experiências entre professores da Unipampa, Universidades Federias do Paraná e de Santa Catarina sobre os limites e avanços sobre as temáticas sociais em cursos de licenciatura. Para Marta, a contribuição do Núcleo na formação de docentes e discentes não se limita à formação acadêmica, mas também à formação enquanto cidadãos.

As ações englobam os cursos de Licenciatura em Educação Física, Ciências da Natura, Fisioterapia e Enfermagem, presentes no Campus Uruguaiana. Segundo a professora, a partir da perspectiva construída pelos movimentos sociais organizados, busca-se a formação a partir da realidade histórica do país, “caracterizado por suas mazelas deixadas como herança do processo de colonização e que devem ser superadas”.

Por fim, Marta salienta que “a importância de respeitar a diferença coloca os pesquisadores em outro patamar de compreensão sobre o seu papel social, principalmente, como docentes de universidade pública e, também, como cidadãos na construção de conhecimentos necessários para torná-los comprometidos com as mudanças sociais necessárias”.

 


Av. General Osório, 900
Bagé, RS 96400-100
Fone Reitoria: (53) 3240-5400