Cabeçalho Portal Unipampa Página inicial Site Campus Alegrete Site Campus Caçapava do Sul Site Campus Bagé Site Campus Dom Pedrito Site Campus Itaqui Site Campus Jaguarão Site Campus Livramento Site Campus São Borja Site Campus São Gabriel Site Campus Uruguaiana


 


Unipampa promove ações de preservação do patrimônio paleontológico PDF Imprimir
Escrito por Franceli Couto Jorge   
Qui, 18 de Dezembro de 2014 11:50

Pesquisar fósseis, desde a descrição, classificação, evolução e interação dos seres pré-históricos com seus antigos ambientes, é uma das funções desenvolvidas por um paleontólogo. Na Universidade Federal do Pampa (Unipampa), Campus São Gabriel, há diversas ações de pesquisa e extensão ligadas à área, desenvolvidas pelo Laboratório de Paleobiologia.

Para divulgar o patrimônio fóssil gaúcho para a população de São Gabriel, o laboratório promove exposições e oficinas. Também são realizadas pesquisas científicas relacionadas a vertebrados fósseis do Permiano, período há aproximadamente 299 milhões e 252 milhões, e Triássico, que compreende o período de 252 a 201 milhões de anos atrás, do Rio Grande do Sul e Cretáceo, há aproximadamente 145 milhões a 66 milhões de anos, do Ceará.

As atividades fazem parte dos projetos de extensão e contam com a participação ativa da comunidade. “É sempre notório o interesse e curiosidade dos que participam de tais ações, especialmente quanto a fósseis encontrados na região de São Gabriel”, afirma o professor Felipe Pinheiro. “Tal interesse precisa ser devidamente aproveitado, para que o público possa atuar como agente disseminador da importância do conhecimento e preservação do patrimônio paleontológico”, complementa.

Durante as oficinas, a comunidade pode entrar em contato direto com o material fóssil e participar de jogos didáticos que simulam os trabalhos de campo realizados por paleontólogos para encontrar fósseis. Através das exposições, com réplicas de dinossauros e fósseis originais de vértebras, dentes e larva de um inseto efemeróptero, foi possível observar a falta de conhecimento sobre a relevância científica dos fósseis. Devido à abundância destes materiais, muitas vezes, a população local utiliza estes espécimes como objetos decorativos.

Fósseis atraem a curiosidade do público / Foto: Felipe Pinheiro

Recentemente, acadêmicos da Unipampa participaram do evento Paleo RS 2014, encontro anual da Sociedade Brasileira de Paleontologia, ocorrido na cidade de Candelária. Na oportunidade, os alunos apresentaram trabalhos, que relatam os estudos dos fósseis do Rio Grande do Sul e Ceará, experiências com oficinas e exposições promovidas pelo laboratório, assim como, pesquisas voltadas à área da educação.

Os estudos afirmam que a paleontologia ainda é um tema negligenciado pela educação básica. Um dos resultados mostra que os alunos chegam ao curso superior sem uma base sólida de conteúdos fundamentais das Ciências Naturais, com ênfase na Biologia.

Dentre os seis trabalhos apresentados pelos acadêmicos da Unipampa, dois foram premiados, um sobre o novo dinossauro para o Triássico, do Rio Grande do Sul, do estudante de mestrado Cristian Pacheco. A outra pesquisa abordou o ensino de evolução na educação básica, da acadêmica do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, Cristiane da Rosa. Segundo Pinheiro, os trabalhos atraíram a atenção de profissionais e estudantes de Paleontologia de todo o Estado.

O Laboratório de Paleontologia conta com um acervo de fósseis ainda não estudado. Entre as pesquisas em andamento estão as que envolvem os vertebrados do Permiano e Triássico, do Rio Grande do Sul, além dos pterossauros do Cretáceo, do Ceará. Paralelo a isso, são desenvolvidos trabalhos de prospecção em campo, com o objetivo de coletar novos materiais para pesquisas futuras.

Pinheiro esclarece que, através da fauna de vertebrados Permianos e Triássicos do Rio Grande do Sul, é possível estudar “um dos mais importantes eventos da história da Terra: a extinção em massa, que ocorreu no final do Período Permiano, há cerca de 250 milhões de anos”.

Para 2015, o Campus São Gabriel, da Unipampa, prepara-se para sediar o evento Paleo RS. A proposta foi apresentada ao final da edição deste ano e aceita pela comunidade paleontológica do Rio Grande do Sul. Paralelo ao evento, estão previstas exposições abertas ao público.

Conforme Pinheiro, “uma Paleo RS sediada em São Gabriel, sem dúvidas, servirá para atrair ainda mais o interesse de acadêmicos e professores da universidade para a paleontologia”. Pelo fato da região de São Gabriel ser produtiva para o achado de vertebrados do Período Permiano, o professor afirma que o município tem tudo para se tornar um centro de referência no estudo destes animais. “A Paleo RS 2015, em São Gabriel, é mais um passo dado em direção a essa meta”, frisa.

  

Fotos: Felipe Pinheiro

 


Av. General Osório, 900
Bagé, RS 96400-100
Fone Reitoria: (53) 3240-5400